6 regras para ensinar ao seu cachorro

Você gostaria que seu cachorro fosse obediente?

Com um pouco de paciência e conhecimentos práticos, pode-se educar e treinar um cão, transformando-o, mais tarde, em um verdadeiro campeão.

São bastante conhecidas estórias de cães ensinados que conseguem fazer as mais incríveis façanhas. Laika, cadela russa, há alguns anos, chegou a ser enviada ao espaço para experiências científicas. Rin Tin Tin, dos EUA, foi durante um bom tempo, atração de filmes infantis. Outros cães, anônimos, chegam a salvar vidas, protegem residências, servem de guia a cegos, transformando-se, por isso tudo, em exemplos de coragem, ousadia e amizade ao homem.

PACIÊNCIA E PERSISTÊNCIA NO ADESTRAMENTO DE CACHORROS

Casos como estes mostram a potencialidade e inteligência de cães das mais diversas raças, que podem ser treinados, desde que seu instrutor tenha em princípio:

Paciência — O autocontrole e paciência são fundamentais no ensino de cães, e levam ao sucesso ou ao fracasso do aprendizado. Na verdade, uma simples explosão de ira pode estragar tudo. Assim, deve-se ter com os animais a mesma paciência e atenção que se dispensa a uma criança, por exemplo.

Persistência — Dela depende o perfeito entendimento de todas as lições dadas a um cão. Por isso, é preciso repeti-las todos os dias, até que o animal tenha aprendido tudo aquilo que se ensinou.

Conhecimentos práticos — Com eles, é possível saber a maneira adequada e correta de treinar um cão. É a prática que dá ao homem os conhecimentos necessários para entender o temperamento dos cães das diversas raças, adaptando a cada uma delas os métodos convenientes.

PRIMEIRO, EDUCAÇÃO CANINA

O treinamento de cães, entretanto, deve ser precedido por sua educação. É preciso, por exemplo, que um filhote aprenda, desde cedo, onde é seu lugar de dormir. Outra importante lição é a de limpeza. Como ele não distingue a princípio a diferença entre um bom tapete e um trapo sem uso, deve-se mostrar-lhe, por exemplo, que a terra do quintal, ou uma caixa com areia (ou jornal) são os locais ideais para fazer suas necessidades. Assim, cinco ou dez minutos após suas refeições, é bom deixá-lo perto dos lugares determinados, fazendo-o perceber que somente lá terá a liberdade de defecar ou urinar. É conveniente também lembrar que, em geral, cães de três a seis meses evacuam mais ou menos cinco vezes ao dia; de seis a nove meses, quatro vezes, e, com mais de um ano, três vezes ao dia.

Além dessas medidas, pode-se estabelecer uma rotina, levando o cão a passeios diários, seguindo sempre o mesmo roteiro. Possivelmente ele “adotará” algum poste ou arbusto (que já tenha sido urinado por outro cão) para fazer suas necessidades.

Em verdade, refeições em horas fixas, passeios sistemáticos, o hábito da caixa de areia, produzem, na maioria das vezes, os efeitos desejados. A vigilância do dono, porém, deve ser mantida por um bom tempo.

→ Achei esta dica para quem quer aprender TODOS os truques de adestramento

LIÇÃO 1: ATENDER QUANDO CHAMADO

Depois de receber as primeiras noções de educação, o cão pode começar a aprender as primeiras lições de seu treinamento. Faz parte desse aprendizado o ensino de seu nome: de preferência curto e com duas sílabas, no máximo. Para ele atender com rapidez quando for chamado, o ideal é levá-lo (com coleira e amarrado a uma corda fina e leve, de uns 10 metros, mais ou menos) a um local amplo, deixando-o brincar à vontade. Quando estiver distraído com qualquer coisa, ele é chamado pelo nome e com a ordem “vem” ou “vem cá”. Se ele vier, deve-se acariciá-lo, deixando, a seguir, que ele brinque mais um pouco. Depois de chamá-lo mais algumas vezes, ele se aborrecerá com essa interrupção e não atenderá mais ao chamado. Com isso, puxa-se a corda com a ordem de “vem”, repetida várias vezes. Logo o cão aprenderá que deve atender a todo e qualquer chamado, mesmo que esteja entretido em suas brincadeiras.

LIÇÃO 2: ANDAR COM COLEIRA E TRELA

Outra fase do aprendizado é fazer o cão andar com coleira e trela. Em primeiro lugar, ele é acostumado com a coleira e só depois é que se coloca a trela, que serve para diminuir a liberdade de movimentos. No princípio, o cão tende a puxar as pessoas. Mas não se dá atenção a isto, continuando o passeio, pois logo ele vai compreender que a maneira mais segura e cômoda de andar pelas ruas é caminhar ao lado de seu dono. Se o cão mostrar rebeldia, é melhor que, ao andar, ele fique sempre ao lado esquerdo de quem o leva. Vai-se caminhando e, quando o cão quiser adiantar-se ou correr, puxa-se a trela, ao mesmo tempo que se diz energicamente: “junto” ou “siga-me”. Quando o cão obedecer, deve ser acariciado. Durante o passeio, deve-se falar com o cão em voz baixa e afetuosa, acariciando-o frequentemente.
Assim, ele associará passeios, carícias e trela.

LIÇÃO 3: SENTAR

Para ensinar o cão a sentar-se é fundamental que se disponha de um local bem tranquilo. Assim, pode-se fazer com que as lições sejam bem aproveitadas e o cão não tenha sua atenção distraída por ruídos ou pessoas. Com o animal parado ao lado do instrutor, segura-se a trela (esticada para cima) e se diz: “senta”. Ao mesmo tempo, com a mão esquerda, pressiona-se a garupa para baixo, até que o cão acabe sentando. No início, ele não deve ficar nessa posição por muito tempo. É preferível repetir o exercício várias vezes, sempre dando a ordem certa e comprimindo a garupa. Logo ele associará a ordem com a pressão e começará a antecipar-se a ela. Nessa ocasião, pode-se deixá-lo sentado por mais tempo. Em alguns casos, um simples olhar é suficiente para que ele compreenda o que o dono quer. Depois que o cão aprendeu a ficar sentado, pode-se começar a ensinar-lhe o “fica” ou “fica aí”. Para isso, a pessoa vai se afastando, repetindo a ordem. Se ele não obedecer na primeira vez, repete-se tudo de novo. Mas, em geral, depois de aprender a sentar-se, o cachorro assimila com muita facilidade essa outra lição.

LIÇÃO 4: DEITAR

Dizendo “deita”, pressiona-se, com a mão esquerda, as costas do animal, na altura das patas dianteiras. Repete-se novamente a lição, até que tenha sido assimilada. Depois de alguns treinos diários, o cão obedecerá a mais este pedido, que será importante quando ele estiver na presença de pessoas, ou crianças, que não estejam acostumadas com animais. Durante o aprendizado, toda vez que o cão fizer correta-mente aquilo que se está ensinando, deverá ser premiado com um carinho ou afago na cabeça.

LIÇÃO 5: NÃO SALTAR

Tanto os filhotes, como os cães em geral, gostam de saltar sobre as pessoas   como   demonstração   de amizade e afeto. Isto, porém, deve ser proibido, porque, afinal, não é nada agradável ficar com a roupa suja de terra ou lama. Muitas vezes, tenta-se acabar com esse hábito pisando levemente nas patas traseiras, quando o cão se levanta ou salta sobre a pessoa. Um método melhor, entretanto, é empurrar o animal cuidadosamente pela peito (com o joelho ou mesmo com as mãos), para que fique com as quatro patas no chão. Esta medida é tomada até que ele mude de atitude e aprenda a “fazer festa” sem saltar

LIÇÃO 6: NÃO LATIR

O latido é muito desagradável não só para as pessoas da casa como para os vizinhos. Assim, se o cão tem o hábito de latir à noite, deve-se servir sua refeição principal também à noite — ela pode ter efeito tranquilizante. Caso esta medida não tenha os efeitos desejados, só restam duas alternativas: ou jogar um copo de água sobre o cão, toda vez que ele latir desnecessariamente, ou colocar-lhe uma focinheira suficientemente folgada (para permitir que ele respire livremente), que impede qualquer tentativa de latir. Esta providência pode alcançar bons resultados depois de um bom período de “treino”. O cão se sentirá, com isso, prejudicado em sua forma de expressão, mas entenderá que é melhor não latir do que permanecer com focinheira.

Dicas de adestramento para fazer em casa

TREINO PARA EXPOSIÇÕES

Um cão de raça, que aprende todas estas lições, pode muito bem tornar-se um campeão. Mas, para treiná-lo para exposições e competições, é preciso considerar algumas regras básicas, às quais o cão deve se enquadrar:

1) Aproximar-se o máximo possível da descrição e das normas de sua raça, assim como estar dentro das   medidas   e   pesos   convencionados.

2)  Estar  sempre   alerta  a todo comando de seu acompanhante e não se preocupar com o que acontece a sua volta, o que também é conseguido com muito treino.

3)  Mover-se com liberdade e facilidade, com seu porte natural.

4)  Mover-se livremente em qualquer direção, desde que solicitado.

5)  Adotar qualquer posição (sentado, em pé, deitado, imediatamente, quando receber ordem, permanece assim até contra-ordem. Para   que   isso   aconteça, deve-se ficar parado em sua frenteou de lado,  sem  puxar  a trela. Pode-se atrair sua atenção com um sinal de dedos, até que adote a  postura desejada.

6)  Aceitar, sem rebeldia minucioso exame do juiz. É evidente que ele deve ser treinado para isso, podendo-se durante seu aprendizado, simular um julgamento, com uma pessoa (no papel de juiz) e outros cães (de amigos, por exemplo) como competidores. Isso tudo dará maior desembaraço ao animal, na hora de algum concurso.

7)  Estar sempre manso e ter um porte de verdadeiro campeão. A cabeça deverá manter-se  alta e em posição de alerta.

Summary
Review Date
Reviewed Item
Meu Cão Companheiro - Adestramento Canino
Author Rating
51star1star1star1star1star

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*