Exercícios de Formação de Palavras com gabarito

É bastante interessante conhecer os processo de formação de palavras porque, muitas vezes, nossas dúvidas de vocabulário acabam quando sabemos de onde uma palavra veio. Isso porque as palavras cognatas carregam uma base de sentido comum umas as outras. Para analisar a formação de uma palavra, deve-se procurar a origem dela. Caso seja formada por apenas um radical, diremos que foi formada por derivação; por dois ou mais radicais, composição. Em nosso curso de Português, mais especificamente neste post, veremos que são os seguintes os processos de formação de palavras:

Derivação: Formação de novas palavras a partir de apenas um radical.

Derivação Prefixal
Acréscimo de um prefixo à palavra primitiva; também chamado de prefixação. Por exemplo: antepasto, reescrever, infeliz.

Derivação Sufixal
Acréscimo de um sufixo à palavra primitiva; também chamado de sufixação. Por exemplo: felizmente, igualdade, florescer.

Derivação Prefixal e Sufixal
Acréscimo de um prefixo e de um sufixo, em tempos diferentes; também chamado de prefixação e sufixação. Por exemplo: infelizmente, desigualdade, reflorescer.

Derivação Parassintética
Acréscimo de um prefixo e de um sufixo, simultaneamente; também chamado de parassíntese. Por exemplo: envernizar, enrijecer, anoitecer.

Obs.: A maneira mais fácil de se estabelecer a diferença entre Derivação Prefixal e Sufixal e Derivação Parassintética é a seguinte: retira-se o prefixo; se a palavra que sobrou existir, será Der. Pref. e Suf.; caso contrário, retira-se, agora, o sufixo; se a palavra que sobrou existir, será Der. Pref. e Suf.; caso contrário, será Der. Parassintética. Por exemplo, retire o prefixo de envernizar: não existe a palavra vernizar; agora, retire o sufixo: também não existe a palavra enverniz. Portanto, a palavra foi formada por Parassíntese.

Derivação Regressiva
É a retirada da parte final da palavra primitiva, obtendo, por essa redução, a palavra derivada. Por exemplo: do verbo debater, retira-se a desinência de infinitivo -r: formou-se o substantivo debate.

Derivação Imprópria
É a formação de uma nova palavra pela mudança de classe gramatical. Por exemplo: a palavra gelo é um substantivo, mas pode ser transformada em um adjetivo: camisa gelo.

Composição
Formação de novas palavras a partir de dois ou mais radicais. Composição por justaposição
Na união, os radicais não sofrem qualquer alteração em sua estrutura. Por exemplo: ao se unirem os radicais ponta e pé, obtém-se a palavra pontapé. O mesmo ocorre com mandachuva, passatempo, guarda-pó.

Composição por aglutinação
Na união, pelo menos um dos radicais sofre alteração em sua estrutura. Por exemplo: ao se unirem os radicais água e ardente, obtém-se a palavra aguardente, com o desaparecimento do a. O mesmo acontece com embora (em boa hora), planalto (plano alto).

Hibridismo
É a formação de novas palavras a partir da união de radicais de idiomas diferentes. Por exemplo: automóvel, sociologia, sambódromo, burocracia.

Onomatopeia
Consiste em criar palavras, tentando imitar sons da natureza. Por exemplo: zunzum, cricri, tique-taque, pingue-pongue.

Abreviação Vocabular
Consiste na eliminação de um segmento da palavra, a fim de se obter uma forma mais curta. Por exemplo: de extraordinário forma-se extra; de telefone, fone; de fotografia, foto; de cinematografia, cinema ou cine.

As siglas são formadas pela combinação das letras iniciais de uma sequência de palavras que constitui um nome: Por exemplo: IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística); IPTU (Imposto Predial, Territorial e Urbano).

Neologismo semântico
Forma-se uma palavra por neologismo semântico, quando se dá um novo significado, somado ao que já existe. Por exemplo, a palavra legal significa dentro da lei; a esse significado somamos outro: pessoa boa, pessoa legal.

Empréstimo linguístico
É o aportuguesamento de palavras estrangeiras; se a grafia da palavra não se modifica, ela deve ser escrita entre aspas. Por exemplo: estresse, estande, futebol, bife, “show”, xampu, “shopping center”.

enem-vestibular-exercícios-formação-de-palavras

Exercícios sobre Estrutura e Formação de Palavras

1- Os elementos mórficos sublinhados estão corretamente classificados nos parênteses, exceto em:
a)  aluna (desinência de gênero);
b)  estudássemos (desinência modo-temporal);
c)  reanimava (desinência número-pessoal);
d)  deslealdade (sufixo);
e)  agitar (vogal temática).

2- Tendo em vista o processo de formação de palavras, não é exemplo de hibridismo:
a)  automóvel;
b)  sociologia;
c)  alcoômetro;
d)  burocracia;
e)  biblioteca.

3-(AL) Tendo em vista a estrutura das palavras, o elemento sublinhado está incorretamente classificado nos parênteses em:
a) velha (desinência de gênero);
b)  legalidade (vogal de ligação);
c)  perdeu (tema);
d)  organizara (desinência modo-temporal);
e) testemunhei (desinência número-pessoal).

4- O processo de formação da palavra sublinhada está incorretamente indicado nos parênteses em:
a)  Só não foi necessário o ataque porque a vitória estava garantida. (derivação parassintética);
b)  O castigo veio tão logo se receberam as notícias. (derivação regressiva);
c)  Foram muito infelizes as observações feitas durante o comício. (derivação prefixal);
d)  Diziam que o vendedor seria capaz de fugir. (derivação sufixal);
e)  O homem ficou boquiaberto com as nossas respostas. (composição por aglutinação).

5- Tendo em vista o processo de formação de palavra, todos os vocábulos abaixo são parassintéticos, exceto:
a)  entardecer;
b)  despedaçar;
c)  emudecer;
d)  esfarelar;
e)  negociar.

6-  É exemplo de palavra formada por derivação parassintética:
a)  pernalta;
b)  passatempo;
c)  pontiagudo;
d) vidraceiro;
e)  anoitecer.

7- Todas as palavras abaixo são formadas por derivação, exceto:
a)  esburacar;
b)  pontiagudo;
c)  rouparia;
d)  ilegível;
e)  dissílabo.

8-  “Achava natural que as gentilezas da esposa chegassem a cativar um homem”. Os elementos constitutivos da forma verbal grifada estão analisados corretamente, exceto:
a)  CHEG – radical;
b) A – vogal temática;
c)  CHEGA – tema;
d)  SSE – sufixo formador de verbo;
e)  M – desinência número-pessoal.

9- O elemento mórfico sublinhado não é desinência de gênero, que marca o feminino, em:
a) tristonha;
b)  mestra;
c) telefonema;
d)  perdedoras;
e)  loba.

10- A afirmativa a respeito do processo de formação de palavras não está correta em:
a)  Choro e castigo originaram-se de chorar e castigar, através de derivação regressiva;
b)  Esvoaçar é formada por derivação sufixal com sufixo verbal frequentativo;
c)  O amanhã não pode ver ninguém bem. – a palavra sublinhada surgiu por derivação imprópria;
d)  Petróleo e hidrelétrico são formadas através de composição por aglutinação;
e)  Pólio, extra e moto são obtidas por redução.

11-O processo de formação de palavras é o mesmo em:
a)  desfazer, remexer, a desocupação;
b)  dureza, carpinteiro, o trabalho;
c)  enterrado, desalmado, entortada;
d)  machado, arredondado, estragado;
e)  estragar, o olho, o sustento.

12- O processo de formação da palavra amaciar está corretamente indicado em:
a)  parassíntese;
b)  sufixação;
c)  prefixação;
d)  aglutinação;
e) justaposição.

13- O processo de formação das palavras grifadas não está corretamente indicado em:
a) As grandes decisões saem do Planalto. (composição por justaposição);
b)  Sinto saudades do meu bisavô. (derivação prefixal);
c) A pesca da baleia deveria ser proibida. (derivação regressiva);
d)  Procuremos regularmente o dentista. (derivação sufixal);
e) As dificuldades de hoje tornam o homem desalmado. (derivação parassintética).

14- O processo de formação de palavras está indicado corretamente em:
a) Barbeado: derivação prefixal e sufixal;
b)  Desconexo: derivação prefixal;
c)  Enrijecer: derivação sufixal;
d)  Passatempo: composição por aglutinação;
e)  Pernilongo: composição por justaposição.

15- Apenas um dos itens abaixo contém palavra que não é formada por prefixação. Assinale-o:
a)  anômalo e analfabeto;
b)  átono e acéfalo;
c)  ateu e anarquia;
d)  anônimo e anêmico;
e)  anidro e alma.

16-  Em que alternativa a palavra grifada resulta em derivação imprópria?
a)  “De repente, do riso fez-se o pranto / Silencioso e branco como a bruma / E das bocas fez-se a espuma / E das mãos espalmadas fez-se o espanto.” (Vinícius de Moraes);
b)  “Agora, o cheiro áspero das flores / leva-me os olhos por dentro de suas pétalas.”(Cecília Meireles);
c)  “Um gosto de amora / Comida com sal. A vida / Chamava-se “Agora”.” (Guilherme de Almeida);
d)  “A saudade abraçou-me, tão sincera, / soluçando no adeus de nunca mais. / A ambição de olhar verde, junto ao cais, / me disse: vai que eu fico à tua espera.” (Cassiano Ricardo).

17-  Marque a opção em que todas as palavras possuem um mesmo radical:
a)  batista – batismo – batistério – batisfera – batiscafo;
b) triforme – triângulo – tricologia – tricípite – triglota;
c)  poligamia – poliglota – polígono – política – polinésio;
d)  operário – opereta – opúsculo – obra – operação;
e)  gineceu – ginecologia – ginecofobia – ginostênio – gimnosperma.

18- Com relação ao seguinte poema, é CORRETO afirmar que:

Neologismo
“Beijo pouco, falo menos ainda. / Mas invento palavras / Que traduzem a ternura mais funda / E mais cotidiana. / Inventei, por exemplo, o verbo teadorar. / Intransitivo: / Teadoro, Teodora.” (Manuel Bandeira)
a)  o verbo “teadorar” e o substantivo próprio “Teodora” são palavras cognatas, pois possuem o mesmo radical;
b)  as classes das palavras que compõem a estrutura do vocábulo “teadorar” são pronome e verbo;
c)  o verbo “teadorar”, por se tratar de um neologismo, não possui morfemas;
d)  a vogal temática dos verbos “beijo”, “falo”, “invento” e “teadoro” é a mesma, ou seja, “o”.

19-  Está INCORRETO afirmar que:
a)  malcheiroso é formada por prefixação e sufixação;
b) televisão é formada por prefixação que significa ao longe;
c)  folhagem é formada por derivação sufixal que significa noção coletiva;
d)  em amado e malcheiroso, ambos os sufixos significam provido ou cheio de.

20-  Farejando apresenta em sua estrutura:
a)  radical farej – vogal temática a – tema fareja – desinência ndo;
b)  radical far – tema farej – vogal temática e – desinência ndo;
c)  radical fareja – vogal temática a – sufixo ndo;
d) tema farej – radical fareja – sufixo ndo.

Respostas dos exercícios de formação de palavras

1- C, 2- E, 3- C, 4- A, 5- E, 6- E, 7- B, 8- D, 9- C, 10- B, 11-C, 12-A, 13-A, 14- B, 15-E, 16-D, 17-D, 18-B, 19- B, 20-A

Exercícios de Formação de Palavras com gabarito
4.3 (85%) 12 votes

11 comentários

  1. Como eu faço as questões do sublinhado se não tem nada sublinhado

  2. Se no assunto anterior ao exercício a palavra EXTRA é colocada como exemplo de abreviação, por que na décima questão (alternativa E ) ela está corretamente classificada como redução?
    Se a alternativa B é a incorreta, a questão tem duas alternativas para marcar.

  3. Se no assunto anterior ao exercício a palavra EXTRA é colocada como exemplo de abreviação, por que na décima questão (alternativa E ) ela está corretamente classificada como redução?

  4. Availdo dos santos silva

    não entendi porque a letra d da questão
    17 está correta.

  5. Availdo dos santos silva

    se sublinhasse as palavras que pedem no exercicio ficaria mais correto

  6. A letra a da quetão 11 tambem esta correta!

  7. Não sei que radical tem obra e operário em comum!!

  8. Estão de brincadeira que a 17 é letra D????? Onde que operário – opereta – opúsculo – obra – operação; são cognatas? OBRA???????? Nossa!!!! Isso é que é ensinar errado!

    • Luiz Eduardo

      Basta lembrar que operário é o profissional que trabalha em uma obra!!!
      No estágio atual da língua (português moderno), é difícil mesmo entender por que ‘obra’ e ‘operário’ são cognatos. Mas, se você procurar pela história dessas palavras, vai descobrir que as duas têm como matriz a palavra latina ‘opus’. É natural que as línguas evoluam, que palavras desapareçam ou simplesmente mudem de pronúncia e de forma. Ao longo dos tempos, houve (mais ou menos) a seguinte transformação: opus > opera > opra [esse fenomeno é o mesmo que acontece hoje em dia com a palavra ‘xícara’, que muitos a pronunciam ‘xicra’] > obra [outro fenomeno também bastante comum p>b/b >p]. Assim, obra e operário têm em comum a raiz OP, da qual o P ‘vira’ B em o’bra’.

  9. Os exercícios 1, 3 e 4 pedem para marcar as palavras sublinhadas, mas onde esta as palavras sublinhadas das alternativas? Assim fica difícil responder os exercícios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*