Sintaxe do período simples – exercícios

No artigo de hoje você verá um exercício de interpretação de textos e  compreenderá um pouco mais como as palavras estabelecem suas relações sintáticas e semânticas. Para isso, recomendo sempre que você leia nosso artigos sobre o assunto. Visite também o nosso blog Análise de textos para aprender um pouco mais de teoria e fazer mais uma centena de exercícios de interpretação de textos. semelhantes aos que caem no Enem. Mesmo tendo sido feito já pouco tempo, vale recomeçar os estudos, pois saber compreender bem um texto é uma habilidade que levaremos pra vida.

Exercícios sobre relações sintáticas

Leia o texto a seguir para responder às questões de 1 a 5.

“Música de negão” é rótulo preconceituoso

Existe mesmo uma música negra brasileira? Podemos identificar um gênero musical que seja efetivamente representativo do povo afrodescendente do Brasil?
Durante algum tempo tentou-se construir uma padronização da música popular brasileira em que o samba exercia o papel de genérico brasileiro de música, bem ao feito do chamado “nacional e popular”.
Buscava-se a prova material da existência de algo que, visto sob um olhar mais rigoroso, não passava de uma idealização acadêmica. Alguns prestigiosos críticos musicais batiam o pé: o samba da favela, o chamado samba de raiz, negro e carioca, seria a expressão mais pura da música negra brasileira. Mas… será que podemos falar de um samba só?
E o samba-coco, a umbigada, o samba rural, o samba de roda, o próprio jongo, que resulta no século 20 no samba do Império Serrano, no Morro da Serrinha, no Rio de Janeiro, e depois se alimenta de seu fruto, reinventando-se no jongo contemporâneo? E todas as outras adaptações e misturas a partir do ancestral semba angolano?
E as outras músicas negras brasileiras de tradição africana? A música de Candomblé, de onde saiu toda a variedade dos afros, reggaes e axés, os maracatus, os batuques e tambores, o xote e o xaxado, sem esquecer o baião. E o hip hop, o funk e o rap das periferias e guetos urbanos, cada vez mais “sambeados”? Óbvio: também são música negra brasileira. Em todas essas formas musicais estão presentes os elementos rítmicos, melódicos, harmônicos e temáticos da matriz africana.
São, portanto, a expressão de uma dupla diversidade: a diversidade das matrizes culturais africanas e a diversidade das formações socioculturais brasileiras em que os africanos foram inseridos. Sim, há uma música negra no Brasil; mas uma música que só pode ser falada (e cantada, e tocada) no plural. Uma música que realiza sua identidade nos entrelaçamentos culturais que constituem a nossa singularidade enquanto sociedade, ou seja, nas relações, trocas, influências com seus “outros” musicais, que também são “nossos”. […]

GIL, Gilberto. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 19 dez. 2003. Caderno 2, p. D11. (Fragmento).

  • Semba: movimento de dança que consiste no embate, de frente, entre dois dançarinos. a palavra é um regionalismo de angola.

1. O trecho acima foi extraído do discurso pronunciado pelo ministro da Cultura, Gilberto Gil, em ocasião da abertura da 17ª Jornada África-Brasil, no Congresso nacional em Brasília (DF), em novembro de 2003.

  • Qual é a pessoa do discurso, isto é, a forma pronominal pessoal escolhida pelo ministro para realizar seu pronunciamento?
  • Do ponto de sua função sintática, como essa forma pronominal é classificada?
  • De que maneira essa forma pronominal pode ser recuperada ao longo do texto? Justifique sua resposta com exemplos.

2. Considere a primeira oração do primeiro parágrafo do texto, “existe mesmo uma música negra brasileira?”. Identifique e classifique o sujeito.

3. Podemos dizer que as orações “existe mesmo uma música negra brasileira?” e “Há mesmo uma música negra brasileira?” são semelhantes? Justifique sua resposta, levando em consideração tanto o ponto de vista das relações de sentido quanto o das relações sintáticas.

4. Releia o excerto retirado do segundo parágrafo: “alguns prestigiosos críticos musicais batiam o pé: o samba da favela, o chamado samba de raiz, negro e carioca, seria a expressão mais pura da música negra brasileira.” Qual é a função sintática de alguns no período?

5. No texto do discurso do ministro, vimos que há momentos em que ele constrói as orações na 1ª pessoa do plural: “(nós) podemos identificar”; “será que (nós) podemos”. em outras, utiliza a partícula se para sua construção: “tentou-se construir uma padronização da música popular brasileira” (segundo parágrafo); “Buscava-se a prova material da existência de algo” (terceiro parágrafo).

  • Explique, do ponto de vista sintático, o que são essas construções que se valem da partícula se.
  • Identifique e classifique os sujeitos dessas orações construídas com a partícula se expressas no texto.
  • Procure explicar a diferença entre a utilização do pronome nós e da partícula se nessas passagens do texto. do ponto de vista das relações de sentido, o que esse uso diferenciado pode demonstrar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*