Exercícios sobre verbos com gabarito

Neste artigo, retomamos os estudos sobre verbo que iniciamos lá no site Mais Educativo (clique aqui para acessar). Vocês verão uma série de exercícios com gabarito para desenvolver o conhecimento sobre esta classe gramatical tão importante no estudo da Língua Portuguesa. Veja os exercícios, confira o gabarito e não deixe de compartilhar esta postagem.

Lista de exercícios sobre verbos

1. Considere o texto publicitário a seguir.

Mude seu banheiro da água para Harpic

Descubra o frescor e a praticidade do novo Harpic Tablete. É só jogá-lo na caixa acoplada e dar descarga para ter o seu vaso limpo por até 200 descargas. Experimente
e descubra: banheiro bom é o que tem Harpic. Confie no especialista.

Casa Claudia. São Paulo: Abril, ano 26, n. 10. out. 2002.

PUBLICIDADE

O texto da propaganda utiliza um recurso bastante recorrente em anúncios publicitários, quanto ao emprego de verbos. Diga que recurso é este e que efeito de sentido ele
provoca no leitor.

Leia a letra de música a seguir para responder às questões de 2 a 4.

Ai, se sesse!

Se um dia nóis se gostasse;
Se um dia nóis se queresse;
Se nóis dois se impariasse;
Se juntinho nóis dois vivesse!
Se juntinho nóis dois morasse;
Se juntinho nóis dois drumisse;
Se juntinho nóis dois morresse!
Se pro céu nóis assubisse!?
Mas porém, se acontecesse,
Qui São Pedro não abrisse
As porta do céu e fosse,
Te dizê quarqué toulice?
E se eu me arriminasse
E tu cum eu insistisse,
Pra qui eu me arrezorvesse
E a minha faca puchasse,
E o buxo do céu furasse?…
Tarvez qui nóis dois ficasse
Tarvez qui nóis dois caísse,
E o céu furado arriasse
E as Virge todas fugisse!!!

SILVA, Severino de Andrade (“Zé da Luz”). Cordel do Fogo Encantado. Trama, 2001.

  • Impariasse: variante popular para “emparelhar” (ficar lado a lado, tornar-se parceiro).
  • Arriminasse: variante popular para “arrimar” [arrumar(-se): conseguir boa situação, sob qualquer aspecto].

2. A música foi composta numa norma não padrão da língua. Isso fica evidente na ortografia de certas palavras, como buxo (bucho), puchasse (puxasse), tarvez (talvez), entre outras. Mas essa variedade pode também ser percebida quando observamos a conjugação dos verbos.

PUBLICIDADE

  • Qual o modo verbal que predomina na letra da música? Em que tempo está?
  • Que efeito o modo e o tempo desses verbos produzem na música?

3. Observe o título da música Ai, se sesse. Que verbo seria este cujo subjuntivo é sesse? Como é, na norma padrão, o subjuntivo deste verbo?

4. Como a variedade linguística utilizada na composição dessa música não é a padrão, nem todos os verbos estão conjugados de acordo com as regras da língua padrão. Reescreva
aqueles cuja conjugação diverge da concordância oficial.

5. O pretérito perfeito do indicativo é geralmente usado para descrever fatos ou estados concluídos no passado e em algum momento anterior ao instante em que se fala. Considere
as frases a seguir e diga se esta característica do perfeito do indicativo se aplica a elas.

“Viu, gostou, levou” (Anúncio publicitário)

“Pensou persiana, lembrou Columbia” (Anúncio publicitário de persianas)

PUBLICIDADE

“Ajoelhou, tem que rezar” (Dito popular)

Gabarito dos exercícios sobre verbos

CLIQUE AQUI PARA VER O GABARITO

 

 

 

PUBLICIDADE

1. O recurso de que se vale o anúncio é o uso do imperativo (mude, descubra, experimente, confie). Ao utilizar esse modo verbal, o publicitário pretende convencer o leitor da necessidade
de consumir o produto, induzindo-o a adquiri-lo.

2.

  • O modo subjuntivo, no pretérito imperfeito.
  • O modo subjuntivo denota algo hipotético, algo cuja probabilidade de ocorrência é duvidosa ou incerta. No caso da música, o autor elabora perguntas do que aconteceria caso o amor hipotético entre o eu lírico e sua/seu parceira/o se efetivasse.

3. Sesse corresponde ao verbo ser, portanto o subjuntivo é fosse.

4. Conjugados de acordo com a norma padrão, os verbos assumiriam as seguintes formas: se fosse, se nós nos gostássemos, se nós nos quiséssemos, se nós nos emparelhássemos,
se nós vivêssemos, se nós morássemos, se nós dormíssemos, se nós morrêssemos, se nós subíssemos, se eu me arrimasse, se tu insistisses, para que eu me resolvesse, se nós ficássemos, se nós caíssemos, se as Virgens todas fugissem.

5. Tanto nas frases dos anúncios quanto nos ditos populares, os verbos que estão no pretérito perfeito do indicativo não se referem a algo já concluído anteriormente ao momento em que
se fala. Eles equivalem a uma espécie de verdade absoluta, isto é, são asserções válidas para qualquer momento. Assim, por exemplo, “Pensou persiana, lembrou Columbia” equivaleria a “toda vez que você pensar em persiana, você deve se lembrar das persianas da marca Columbia”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × três =