6 exercícios de literatura sobre Memórias Póstumas

Neste artigo você encontrará seis questões que usei numa atividade em sala de aula sobre o livro Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis. é bastante importante que o aluno estude estas obras consagradas da nossa Literatura para ter um conhecimento que vá além do supérfluo nas provas do Enem e nos vestibulares. Já coloquei o gabarito junto das questões para facilitar a conferência. Além disso, você pode baixar lá no meu grupo de estudos no Facebook a versão em PDF da atividade. Bons estudos.

Atividade sobre livro Memórias Póstumas de Brás Cubas com Gabarito

No trecho a seguir, o narrador, ao descrever a personagem, critica sutilmen­te um outro estilo de época: o Romantismo.

Naquele tempo contava apenas uns quinze ou dezesseis anos; era talvez a mais atrevida cria­tura de nossa raça e, com certeza, a mais volun­tariosa. Não digo que já lhe coubesse a primazia da beleza, entre as mocinhas do tempo, porque isto não é romance, em que o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas; mas também não digo que lhe maculasse o ros­to nenhuma sarda ou espinha, não. Era bonita, fresca, saía das mãos da natureza cheia daquele feitiço, precário e eterno, que o indivíduo passa a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.

ASSIS, Machado de. Memórias póstumas de Brás Cubas.

1. A frase do texto em que se percebe a críti­ca do narrador ao Romantismo está transcrita na alternativa:

( x ) a) “… o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas …”

( ) b) “… era talvez a mais atrevida criatura da nossa raça …”

( ) c) “Era bonita, fresca, saía das mãos da na­tureza, cheia daquele feitiço, precário e eter­no, …”

( ) d) “Naquele tempo contava apenas uns quin­ze ou dezesseis anos …”

( ) e) “… o indivíduo passa a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.”

2. Leia o trecho para responder as próximas questões:

Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto que o uso vulgar seja co­meçar pelo nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a primeira é que eu não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para quem a campa foi outro berço; o segundo é que o escrito ficaria assim mais galante e mais novo.

Memórias póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis

Essa é a abertura do famoso romance de Machado de Assis. Dentro desse contexto, já dá para se ver o tipo de narrativa que será explorada. Assinale a alternativa correta a esse respeito.

( ) a) A narrativa decorre de forma cronologi­camente correta, de acordo com a passagem do tempo: infância, juventude, maturidade e velhice.

( ) b) A linearidade das ações apresenta cenas de suspense, dado o comportamento inusi­tado dos personagens.

( ) c) Não há como prever o final da narrati­va, já que seu enredo é, propositadamente, complicado.

( ) d) A ação terá, como cenário, os diversos centros cosmopolitas do mundo.

( x ) e) O autor usa o recurso do flashback devi­do a sua intenção de iniciar o romance pelo “fim”.

3. Em relação à questão anterior, infere-se que a linguagem dispõe de um recurso enriquecedor: a disposição das palavras no espaço frasal. Sendo assim, que tipo de lei­tura pode-se fazer dessas duas expressões: “autor defunto” e “defunto autor”?

( ) a) A colocação da palavra defunto após a pa­lavra autor leva-nos a pensar que o segundo ele-mento está em fase final de carreira.

( ) b) Defunto autor remete à ideia de que a pessoa irá escrever suas memórias dentro de um cemitério.

( ) c) Ambas as expressões transmitem a mes­ma ideia, com iguais valores semânticos.

( x ) d) A expressão defunto autor aparece de forma metaforizada, original, privilegiando uma nova forma de narração autobiográfica.

( ) e) Ambas as construções não têm expressão na obra biográfica de Machado de Assis.

4. Considerando o que você já leu e/ou­ viu sobre o livro Memórias póstumas de Brás Cubas e atentando ainda para as conside­rações que Brás Cubas faz no trecho lido quanto à maneira de começar a escrever seu livro, responda: Brás Cubas contou sua his­tória pelo “uso vulgar” ou ele fez de forma diferente? Justifique de forma clara e sintética sua escolha. (2,0)

Resposta: Brás Cubas narra a sua história de modo original, de maneira ziguezagueante e digressiva, fazendo intervenções e conversando com o leitor e, principalmente, deixando de lado a linearidade da narrativa e, portanto, indo contra o que seria o “modo vulgar” de se narrar.

Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis; nada menos. Meu pai logo que teve aragem dos quinze contos sobressaltou-se deveras; achou que o caso excedia as raias de um capricho juvenil.

— Dessa vez, disse ele, vais para Europa, vais cursar uma Universidade, provavelmente Coimbra, quero-te homem sério e não arruador e não gatuno.

E como eu fizesse um gesto de espanto:

— Gatuno, sim senhor, não é outra coisa um filho que me faz isso.

Machado de Assis – Memórias póstumas de Brás Cubas

5. De acordo com essa passagem da obra, po­de-se antecipar a visão que Machado de Assis tinha sobre as pessoas e sobre a sociedade. A esse respeito, assinale a alternativa correta.

( X ) a) O amor é fruto de interesse e compõe o pilar das instituições hipócritas.

( ) b) O amor, se sincero, supera todas as barrei­ras, inclusive as financeiras.

( ) c) O caráter autoritarista moldava as relações familiares, principalmente entre pai e filho.

( ) d) Havia medo de que a marginalidade envolvesse os jovens daquela época.

( ) e) O amor era glorificado e apontado como o único caminho para redimir as pessoas.

6 exercícios de literatura sobre Memórias Póstumas
3.7 (73.33%) 3 votes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*