Interpretar textos – Poema de Fernando Pessoa

Os exercícios de interpretação de textos abaixo baseiam-se no maravilhoso poema de Fernando pessoa. São questões a respeito dos recursos linguísticos presentes nele e também perguntas de coesão textual. Para todas elas há o gabarito e você pode conferir após fazer. Além disso, os exercícios dessa seção do site são perfeitos para listas de exercícios adicionais para alunos de Ensino Médio que precisam estudar para o Enem.

MAR PORTUGUÊS

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

(Fernando Pessoa, in Mensagem)

1) Segundo o poeta, o sofrimento do povo ocorreu:

a) apesar das conquistas portuguesas

b) em virtude das conquistas portuguesas v

c) para as conquistas portuguesas

d) antes das conquistas portuguesas

e) após as conquistas portuguesas

2) A metáfora existente nos dois primeiros versos do poema estabelece:

a) a força moral de Portugal

b) a incoerência do sofrimento diante das conquistas

c) a importância do sofrimento para que o povo deixe de sofrer

d) a profunda união entre as conquistas e o sofrimento do povo

e) a inutilidade das conquistas portuguesas

3) Além da metáfora, os dois primeiros versos contêm:

a) prosopopeia, epíteto de natureza, eufemismo

b) antítese, pleonasmo, eufemismo

c) apóstrofe, epíteto de natureza, metonímia

d) prosopopeia, pleonasmo, antítese

e) apóstrofe, hipérbole, sinestesia

4) “Quantos filhos em vão rezaram!” Com este verso, entendemos que:

a) o sofrimento do povo foi inútil.

b) o povo português da época era muito religioso.

c) muita gente perdeu entes queridos por causa das conquistas portuguesas.

d) a força da fé contribuiu efetivamente para as conquistas do país.

e) a religiosidade do povo português era inútil.

5) As palavras que melhor definem o povo português, de acordo com as ideias contidas no texto, são:

a) fé e competência

b) inteligência e maturidade

c) orgulho e religiosidade

d) perseverança e ambição

e) grandeza e tenacidade

6) Segundo o texto, para se ir sempre adiante é necessário:

a) crer no destino

b) aceitar a dor

c) viver com alegria

d) vencer o sofrimento

e) objetivar sempre o progresso

7) Por um processo anafórico, a palavra nele (/. 12) tem como referente no texto:

a) Mar

b) Deus

c) perigo

d) abismo

e) céu

Gabarito dos exercícios de interpretação

1) Letra b

A locução prepositiva em virtude de introduz termo com valor de causa. O relacionamento das conquistas com o sofrimento do povo é exatamente de causa e efeito. O povo sofreu por causa das conquistas, pois muita gente não voltou para casa.

2) Letra d

A metáfora existe na comparação feita entre o sal do mar e as lágrimas do povo português. Há, pois, uma fusão entre o mar, que simboliza as conquistas, e as lágrimas, que simbolizam o sofrimento. O poeta quer passar a idéia de que não haveria conquistas sem o sofrimento do povo, as duas coisas estão intimamente associadas.

3) Letra c

Apóstrofe é a figura que consiste em chamar, interpelar alguém ou algo. Veja, como exemplo, o conhecido verso de Castro Alves: “Deus, ó Deus, onde estás que não respondes?” em que o poeta está interpelando, chamando Deus.Epíteto de natureza é um tipo de pleonasmo: leite branco, gelo frio, pedra dura; isto é, por sua natureza, o leite é sempre branco, o gelo sempre frio, a pedra sempre dura. Sinestesia é a figura que consiste em misturar sentidos (tato, visão etc.).; por exemplo: som colorido, mistura de audição e visão. As outras figuras já comentamos em questões anteriores. No poema, então, além da metáfora, encontramos uma apóstrofe (Ó mar salgado), um epíteto de natureza (mar salgado) e uma metonímia na palavra Portugal, palavra usada no lugar de portugueses (troca dos habitantes pelo lugar).

4) Letra c

Por causa da locução em vão, a resposta parece ser a letra a. O verso quer dizer que, apesar das orações dos filhos, muitos pais não regressaram. Mas o sofrimento do povo como um todo não pode ser considerado inútil, no momento em que o país conquistou, cresceu. A resposta só pode mesmo ser a letra c, pois, apesar das preces, muita gente perdeu seus entes queridos.

5) Letra e

O fato de se rezar em determinados momentos de aflição não significa necessariamente fé ou religiosidade. Qualquer um, mesmo sem ser religioso, pode orar em certos momentos da vida. É possível, assim, eliminar as alternativas a e c. O povo português é, como qualquer povo, inteligente. Mas nada no texto faz menção a isso. Elimina-se, então, a alternativa b. Também seria inadequado considerá-lo ambicioso, a partir dos elementos do texto. A resposta só pode ser mesmo a letra e: o povo demonstra grandeza e tenacidade ao sofrer pelo progresso do país.

6) Letra d

A resposta está, bem clara, na passagem: “Quem quer passar além do Bojador tem que passar além da dor.”; isto é, tem que vencer a dor.

7) Letra a

Nele se refere a mar. Entenda-se: é no mar que espelhou o céu.

Interpretar textos – Poema de Fernando Pessoa
4.7 (94.29%) 7 votes

3 comentários

  1. Gostei também do poema. Tem ele no meu livro de Literatura do terceiro ano. Vi também o link para outros exercícios, mas acho que ninguém vai clicar por isso estou clioando aqui embaixo.

    http://queropassar.net/247-exercicios-e-atividades-de-interpretacao-de-textos/

  2. Victor Souza

    Fernando Pessoa é meu poeta português preferido. Gosto muito das aulas de Literatura em que lemos os poemas dele e fazemos a análise da sua influência no Modernismo português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*