Exercícios de colocação pronominal com gabarito

Recentemente, abordando os termos integrantes da oração em aulas do Ensino Médio e cheguei a fazer em sala de aula alguns exercícios de colocação pronominal com gabarito. Disse ainda aos alunos que o objeto direto e o objeto indireto eram dois elementos que, embora não fossem essenciais para o entendimento do enunciado, completavam o sentido do verbo de maneira que as ações acabavam ficando mais explícitas. Além disso, trabalhamos com os pronomes que cumprem a função de substituir esses termos integrantes. Bem, é sobre isso que falaremos logo mais abaixo. Pronomes Pessoais são conectivos usados para substituírem substantivos. Em exames públicos é comum o emprego acentuado de pronomes em textos. O uso de pronomes possibilita questões de semântica, de emprego e de colocação pronominal.  Vejamos:

Leia o texto que segue para responder às questões 01 e 02.

A rotina e a quimera

Sempre se falou mal de funcionários, inclusive dos que passam a hora do expediente escrevinhando literatura. Não sei se esse tipo de burocrata-escritor existe ainda. A racionalização do serviço público, ou o esforço por essa racionalização, trouxe modificações sensíveis ao ambiente de nossas repartições, e é de crer que as vocações literárias manifestadas à sombra de processos se hajam ressentido desses novos métodos de trabalho. Sem embargo, não se terão estiolado de todo, tão forte é, no escritor, a necessidade de exprimir-se, dentro da rotina que lhe é imposta. Se não escrever no espaço de tempo destinado à produção de ofícios, escreverá na hora do sono ou da comida, escreverá debaixo do chuveiro, na fila, ao sol, escreverá até sem papel – no interior do próprio cérebro, como os poetas prisioneiros da última guerra, que voltaram ao soneto como uma forma que por si mesma se grava na memória.

E por que se maldizia tanto o literato-funcionário? Porque desperdiçava os minutos do seu dia, reservado aos interesses da Nação, no trato de quimeras pessoais. A Nação pagava-lhe para estudar papéis obscuros e emaranhados, ordenar casos difíceis, promover medidas úteis, ouvir com benignidade as “partes”. Em vez disso, nosso poeta afinava a lira, nosso romancista convocava suas personagens, e toca a povoar o papel da repartição com palavras, figuras e abstrações que em nada adiantam à sorte do público.

PUBLICIDADE

É bem verdade que esse público, logo em seguida, ia consolar-se de suas penas na trova do poeta ou no mundo imaginado pelo ficcionista. Mas, sem gratidão especial ao autor, ou talvez separando neste o artista do rond-de-cuir, para estimar o primeiro sem reabilitar o segundo.

O certo é que um e outro são inseparáveis, ou antes, este determina aquele. O emprego do Estado concede com que viver, de ordinário sem folga, e essa é condição ideal para bom número de espíritos: certa mediania que elimina os cuidados imediatos, porém não abre perspectiva de ócio absoluto. O indivíduo tem apenas a calma necessária para refletir na mediocridade de uma vida que não conhece a fome nem o fausto; sente o peso dos regulamentos, que lhe compete observar ou fazer observar; o papel barra-lhe a vista dos objetos naturais, como uma cortina parda. É então que intervém a imaginação criadora, para fazer desse papel precisamente o veículo de fuga, sorte de tapete mágico, em que o funcionário embarca, arrebatando consigo a doce ou amarga invenção, que irá maravilhar outros indivíduos, igualmente prisioneiros de outras rotinas, por este vasto mundo de obrigações não escolhidas. (…)

Carlos Drummond de Andrade. Passeios na ilha. In: Poesia completa e prosa Rio de Janeiro: José Aguilar, 1973, p. 841.

QUESTÃO 01

Julgue os itens a seguir.

1-       No fragmento “que voltaram ao soneto” (linha.7), o vocábulo “que “ tem como referente “última guerra” (linha.7).
2-       Em “A Nação pagava-lhe para estudar papéis” (linha.10), o vocábulo “lhe” tem como referente “o literato-funcionário” (linha.9).
3-       Em “ouvir com benignidade as ‘partes’ “(linha.11), o vocábulo “partes” tem como referente “quimeras pessoais”( linha.10).
4-       O vocábulos “primeiro” (linha.16) e “segundo” (linha.16) tem como referentes “poeta” (linha.14) e “ficcionista” (linha.15), respectivamente.
5-       O vocábulos “este” e “aquele” (linha.17) tem como referentes “rond-de-cuir” (linha.15) e “artista” (linha.15), respectivamente.

PUBLICIDADE

QUESTÃO 02

Quanto à correção da substituição do fragmento sublinhado por pronome, apresentada no trecho em negrito, julgue os seguintes itens.

1- “A racionalização do serviço público (…) trouxe modificações sensíveis ao ambiente de nossas repartições” (linha.2-3) / A racionalização do serviço público ( …) trouxe-lhas
2- “Porque desperdiçava os minutos do seu dia, reservado aos interesses da Nação, no trato de quimeras pessoais” (linha.9-10) / Porque os desperdiçava no trato de quimeras pessoais
3- “e toca a povoar o papel da repartição com palavras”(linha.12)  / e toca a povoá-lo com palavras
4- “É bem verdade que esse público, logo em seguida, ia consolar-se de suas penas na trova do poeta” (linha.14) / É bem verdade que esse público, logo em seguida, ia consolar-se delas na trova do poeta
5- “sente o peso dos regulamentos, que lhe compete observar ou fazer observar” (linha.20-21) / sente-lhe o peso

Veja a resposta dos exercícios acima:

1: E C E  E, 2: C C C C  E

Enquanto os pronomes pessoais do caso reto, geralmente, exercem a função de sujeito, os pronomes pessoais do caso oblíquo funcionam como complementos verbais. Os pronomes oblíquos o / a / os / as / me / te / se / nos / vos podem funcionar como objeto direto. Porém, o pronome “lhe(s)”  funciona como objeto indireto. Os pronomes em negrito também podem exercer a função de objeto indireto, dependendo da regência do verbo.

PUBLICIDADE

a)    Encontrei-as ao passar pela esquina.   [ objeto direto ] b)    Vi-os preocupados.   [ objeto direto ] c)    Não lhe disseram a verdade.     [ objeto indireto ] d)    Obedeço-te. [ objeto indireto ] e)  Vi-te. [ objeto direto ] f)     Deu-se ares de imponente.   [ objeto indireto ] g)    Ele feriu-se.    [ objeto direto ] h)   Vi o rapaz que saiu cedo.    [ Vi-o ]    *  O pronome em negrito  no colchete representa o termo   grifado.
i)     Ofereci o livro ao amigo.   [ Ofereci-o ao amigo ] j)      Ofereci o livro ao amigo.    [ Ofereci-lhe o livro ] k)     Ofereci o livro ao amigo.     [ Ofereci-lho ]   * O pronome em negrito  representa os termos grifados.

Bem, é certo que pouca gente sabe como é a forma correta de usar os pronomes oblíquos. É um assunto com várias regras e casos especiais, porém não é difícil. Pra terminar este artigo, vamos fazer mais alguns exercícios de colocação pronominal.

EXERCÍCIOS DE COLOCAÇÃO PRONOMINAL

1) Nunca______quis para meu auxiliar; mas dei-______oportunidade de que o irmão______obedecesse.
a) o, lhe, o
b) lhe, o, o
c) lhe, lhe, lhe
d) o, o, o
e) o, lhe, lhe

2) Assinale a alternativa em só se pode usar o pronome o, visto que o verbo é transitivo direto.
a) ver
b) gostar
c) obedecer
d) ir
e) chegar.

3) Emprego indevido de o:
a) O irmão o abraçou.
b) O irmão o encontrou.
c) O irmão o atendeu.
d) O irmão o obedeceu.
e) O irmão o viu.

PUBLICIDADE

4) Assinale a alternativa em que o pronome oblíquo átono foi usado incorretamente.
a) Cumprimentei-o pelo aniversário.
b) Vou levá-lo à praia.
c) Comemo-lo por estarmos com fome.
d) Dá-lhe o fogo!
e) Amo-lhe de verdade.

5) Nunca irei perdoar-______, Marina.
a) la
b) a
c) na
d) lhe
e) lha

Os exercícios abaixo são mais alguns que tinha num arquivo que era uma lista de exercícios para o Ensino Médio.

Exercícios de colocação pronominal

1) Assinale a alternativa correta quanto ortografia do pronome átono.
a) Levá-o
b) Indicá-lo
c) Repor-a
d) refiz-a
e) repus-o

2) “Ele não______viu.” Não cabe na frase:
a) nos
b) lhe
c) me
d) te
e) o

3) Assinale a opção em que as duas frases se completam corretamente com o pronome lhe:
a) Não______amo mais. / O filho não______obedecia.
b) Espero-______há anos. / Eu já______conheço bem.
c) Nós______queremos muito bem. / Nunca______perdoarei, João.
d) Ainda não______encontrei trabalhando, rapaz. / Desejou-______felicidades.
e) Sempre______vejo no mesmo lugar. / Chamou-______de tolo.

4) Como não______vi, chamei o contínuo e mandei-______, então______.
a) o, o, procurá-lo.
b) lhe, o, procurá-lo
c) lhe, lhe, procurar-lhe
d) o, ele, procurar-lhe
e) lhe, lhe, procurá-lo

5) (Uelondrina 1997) – I. Nem filhos, nem netos, ninguém lhe dava ouvidos.
II. Quando a viu na sala, dirigiu-lhe a palavra.
III. Me avisaram do acidente por telefone.

Nas frases anteriores, a colocação pronominal está correta em
a) I, apenas.
b) II, apenas.
c) III, apenas.
d) I e II, apenas.
e) I, II e III.

GABARITO: 1-B , 2-B , 3-C , 4-A , 5-D

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − 17 =