A conversação e a função fática da linguagem

Podemos afirmar que as sequências conversacionais ou dialogais são a forma básica da comunicação humana. De fato, a conversação é a mais antiga e democrática maneira de utilizar a linguagem verbal em nossa vida social. A mais antiga porque o homem primeiro falou e só muito tempo depois (cerca de 4000 anos a.C.) inventou a escrita, passando a registrar a fala. A mais democrática porque é posta em prática por qualquer pessoa, escolarizada ou não; pode tratar de qualquer tema; pode se concretizar em qualquer contexto; pode empregar desde o nível coloquial mais informal até o formal culto.

Numa conversação estão presentes elementos que pertencem ao campo da linguagem verbal (o vocabulário, a sintaxe, o nível de linguagem) e ao campo da linguagem não verbal (nesse caso, assumem significado a distância entre os interlocutores, a direção do olhar, os trejeitos faciais, os gestos, as roupas e os adornos, a aparência geral, enfim). Papel fundamental desempenham também os elementos paraverbais (ou paralinguísticos): a entonação, o acento de determinadas palavras ou sílabas, pausas, suspiros etc. Quando representados na escrita, os elementos paraverbais são marcados graficamente. É por isso que se empregam aspas para indicar uma entonação de ironia; que o negrito, o sublinhado ou as maiúsculas são usados para indicar acento forte (palavra ou sílaba dita com mais ênfase). Nas HQ, é comum aumentar o tamanho das letras ou do balãozinho “estrelado” para indicar grito; na ética dos internautas, evitam-se as maiúsculas justamente por representarem gritos.

Assim, sempre que estabelecemos conversação, seja em diálogos informais cotidianos, seja em entrevistas ou em conversas mais formais, fazemos uso de complexas competências:

  • produção de signos verbais, paraverbais e não verbais;
  • interpretação de signos verbais, paraverbais e não verbais.

imagem-A conversação e a função fática da linguagem- hagar

Na última fala de Hagar, a expressão “grandes homens” foi reproduzida no texto escrito marcada com negrito para evidenciar a ênfase com que foi dita.

A conversação e a função fática da linguagem

Nas conversas em que os interlocutores estão frente a frente, a função fática (referente à preocupação do falante em manter contato com o interlocutor) orienta-se para a conexão psicológica entre os interlocutores; o que se quer, nesse caso, é garantir a manutenção da conversa e a atenção do outro, são comuns palavras ou expressões como “Compreende?”, “Entendeu?”, “Veja bem…”, “Olha…”, “Tudo certo?”

A conversação e a função fática da linguagem
Rate this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*